quinta-feira, 30 de junho de 2016

Heitor admite que não terá apoio do PRB em campanha

Em semana decisiva para partidos de oposição, os pré-candidatos Capitão Wagner (PR) e Heitor Férrer (PSB) seguem na costura de alianças às eleições em Fortaleza. Para Férrer, já é certo que o PRB não o apoiará no pleito, enquanto Wagner ainda vê possibilidade de 
acerto com o partido.
Segundo Férrer, o senador Marcello Crivella (PRB) esperava apoio do PSB para sua candidatura à Prefeitura do Rio de Janeiro. Em troca, Crivella entregaria a vice ao aliado. O acordo não se consumou, e o senador Romário (PSB) anunciou ontem sua pré-candidatura no município. 

Como o apoio do PRB a Férrer dependia de acerto no Rio de Janeiro, o parlamentar acredita que os rumos já estão tomados e sua candidatura não deve ter apoio do partido. 
“(O PRB) certamente vai lançar candidatura própria (com Ronaldo Martins, presidente do partido). Já era esperado. Assim, como o PSB não vai apoiar Crivella, também não vou receber o apoio do PRB aqui”, diz.

Para Wagner, porém, a candidatura de Martins em Fortaleza não é certa. “Como não houve aliança com o PSB no Rio de Janeiro, as únicas possibilidades do PRB ainda são ter candidato próprio ou se juntar a nós na disputa”, afirma, “otimista” com aliança na capital cearense. Segundo o pré-candidato, a negociação com o PRB deve ser definida na próxima semana, em reunião com Ronaldo Martins. “Nada na política é impossível”, argumenta.

Heitor Férrer admite que há tentativa de acordo também com o Solidariedade. 

A conversa entre as siglas é intermediada por Célio Studart (SD), pré-candidato a vereador em Fortaleza. 
Conforme o deputado, Célio garantiu ter “autonomia para decidir a quem o Solidariedade vai apoiar”, e a preferência é se aliar ao PSB na Capital. “Célio poderia também fazer uma composição conosco no executivo”, revela o pessebista.

- site O Povo 

Dilma arrecada R$ 160 mil em vaquinha para pagar viagens

Duas amigas da presidente afastada Dilma Rousseff da época da ditadura militar iniciaram ontem uma campanha virtual para arrecadar dinheiro para custear as despesas com os deslocamentos da petista pelo País em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB).

No início de junho, o presidente em exercício, Michel Temer, limitou o uso de aviões da FAB por Dilma apenas para deslocamentos de Brasília a Porto Alegre (RS), onde mora a família da presidente afastada. Esta semana, no entanto, a Justiça Federal do Rio Grande do Sul autorizou Dilma a usar as aeronaves da FAB em viagens pelo País, desde que os custos sejam ressarcidos por ela ou pelo PT.

Idealizada por Guiomar Silva Lopes e Maria Celeste Martins, contrárias ao impeachment, a vaquinha virtual foi batizada de Jornada pela Democracia - Todos por Dilma, e tem como objetivo arrecadar R$ 500 mil até agosto. Em oito horas de campanha, quase 2,1 mil pessoas já haviam feito doações e o total arrecadado chegou a cerca de R$ 160 mil.

Recompensa
Quem contribuir com mais de R$ 10 receberá uma foto oficial autografada em versão digital, um vídeo de agradecimento, além de citação no site da presidente afastada.

No vídeo de apresentação da campanha, Celeste conta que conheceu Dilma em 1969, na clandestinidade. Já Guiomar conhece Dilma desde 1970, quando foi presa e torturada pelo regime militar. “Conheço a Dilma de longa data. É uma das pessoas mais íntegras que eu conheço. A luta que ela vem desenvolvendo na retomada do seu mandato merece todo apoio que se possa dar”, diz Celeste.

“As medidas coercitivas em relação à presidenta Dilma são absurdas, ilegais. Como é que um governo como esse tira qualquer direito, inclusive de mobilidade, da presidenta? A gente está aqui para compor e reforçar as atitudes e lutas no sentido de repor o governo legítimo da presidenta Dilma”, acrescenta Guiomar.

A assessoria de Dilma disse que “saúda” a iniciativa das amigas da presidenta afastada.

A campanha está hospedada na plataforma de crowdfunding Catarse e aceita doações apenas de pessoas físicas residentes no Brasil. De acordo com o site, 13% serão repassados para a própria plataforma, 4% para pagamento de impostos e o restante do valor arrecadado (83%) será usado para pagamento de despesas com deslocamento da presidente afastada Dilma Rousseff. A prestação de contas será apresentada, periodicamente, no site www.dilma.com.br. (ABr)
 - jornal O Povo 

Fernando Prass é a surpresa da seleção olímpica

A seleção brasileira de futebol que tentará conquistar o inédito ouro olímpico na Rio-2016 contará com a experiência do goleiro Fernando Prass e o talento de Neymar e Douglas Costa. Eles são os três atletas com mais de 23 anos na lista de 18 convocados de Rogério Micale. O treinador, que comanda o time sub-23 desde julho de 2015, ganhou o direito de comandar o time olímpico após a demissão de Dunga e o aval de Tite, novo técnico do time principal. 

A surpresa na lista foi Prass, de 37 anos. Enquanto os jovens atacantes Neymar (24 anos) e Douglas Costa (25) vêm com espaço garantido na seleção principal, o goleiro do Palmeiras nunca integrou o grupo.

"É um jogador de liderança. Vem se destacando e demonstrou ser bom em penalidades. É um torneio que pode acontecer essas coisas”, analisou Micale. “É isso que queremos hoje para a nossa seleção: que tenha técnica e saiba da importância de vestir a camisa da seleção brasileira", completou.

Prass confessou ansiedade pelo chamado. “Quando você é jovem como o Gabriel (Jesus, atacante que também joga no Palmeiras), já foi para as seleções de base e vinha sendo chamado, até por ser jovem e ter talento, é mais fácil. Com a idade mais avançada, as coisas ficam mais restritas e tem muito preconceito. E às vezes a idade engana. Eu estou bem fisicamente e com motivação para treinar e jogar, assim como o Gabriel”.

Micale teve dificuldades para elaborar a lista porque muitos clubes europeus dificultaram a liberação de atletas — não há obrigatoriedade porque o torneio não é oficial da Fifa. O goleiro Ederson (Benfica), o lateral Fabinho (Monaco), e o zagueiro Walace (Monaco), não puderam entrar na cota dos sub-23. A ida de Thiago Silva foi vetada pelo PSG. Neymar já era tido como nome certo, devido a acordo costurado com o Barcelona. "(Ele) é diferenciado, um dos melhores do mundo. Qualquer seleção do mundo queria contar com um jogador com esse perfil. Mas tentamos agregar outros perfis de liderança. A minha expectativa é que ele corresponda. Espero que de fato ele possa conduzir os mais jovens", elogiou Micale.

O Brasil, que tentará conquistar o único título que falta à seleção, integra o Grupo A e estreia no dia 4 de agosto, em Brasília, contra a África do Sul. No dia 7, também em Brasília, enfrenta o Iraque. O encerramento da 1ª fase será contra a Dinamarca, no dia 10, em Salvador.

CONVOCADOS

GOLEIROS
Fernando Prass (Palmeiras)
Uilson (Atlético-MG)
 
LATERAIS
William (Internacional)
Douglas Santos (Atlético-MG)
Zeca (Santos)

ZAGUEIROS
Rodrigo Caio (São Paulo)
Luan (Vasco da Gama)
Marquinhos (Paris Saint-Germain)

MEIAS
Thiago Maia (Santos)
Rodrigo Dourado (Internacional)
Fred (Shaktar Donetsk)
Rafinha Alcântara (Barcelona)
Felipe Anderson (Lazio)
 
ATACANTES
Neymar (Barcelona)
Douglas Costa (Bayern de Munique)
Luan (Grêmio)
Gabriel Barbosa (Santos)
Gabriel Jesus (Palmeiras)

 - Jornal O Povo 

Lâmpadas incandescentes de 41W a 60W deixam o mercado nacional

A partir desta sexta-feira, 1º de julho, as lâmpadas incandescentes com potência de 41W até 60W que não atenderem a níveis mínimos de eficiência energética deixarão de ser comercializadas no País. A medida visa elevar a participação no mercado de tecnologias com maior eficiência, de acordo com o Plano de Metas, assinado pelos Ministérios de Minas e Energia (MME), Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

A fiscalização, que fica por conta do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), será realizada por fiscais dos Institutos de Pesos e Medidas (Ipem), órgãos delegados do Inmetro nos estados, que iniciarão a fiscalização no varejo.

- site O Povo

As dificuldades de Zé Ailton em conseguir apoio de Roque na campanha do Crato


O pré-candidato do PP à prefeitura  e nome indicado para representar a base aliada do governador Camilo Santana em Crato, José Ailton Brasil terá mais um obstáculo a transpor se quiser mesmo se confirmar como o nome da base na disputa contra Samuel Araripe e Ronaldo Gomes de Mattos.

Em primeiro lugar, tem que falar com o PT e PC do B sobre a vice.

Em segundo lugar tentar apagar o fogo no PSD já que a maioria dos pré-candidatos a vereador não concorda com seu nome na cabeça da chapa.

Agora, vai ter que debater com o PDT de Sineval Roque. 

O PDT tinha três nomes na disputa e a indicação de André Barreto para a vice não convenceu os formadores de opinião, tampouco os outros nomes da lista. 

Mas o problema de Zé Ailton se chama Sineval Roque e alguns pré-candidatos a vereador. Nos últimos dias Roque conversou reservadamente com cada pré-candidato do PDT e a resposta da maioria não foi boa para Zé Ailton.

Roque  sempre defendeu um nome do PDT na cabeça de chapa, e ficou frustrado com o resultado.

Além disso, Roque não nutre simpatia alguma por Zé Ailton e na única vez que conversou com o parlamentar do PP não falou sobre sucessão.

Não está nos planos de Roque apoiar Zé Ailton , dizem interlocutores próximos a ele. Se ele puder falar isso ao governador Camilo, acredita esse interlocutor, ele falará já que a base do PDT e de outras legendas estão insatisfeitas com a decisão.

A verdade é que ao fazer a chapa, os pré-candidatos esqueceram de conversar com um elemento importante numa campanha eleitoral municipal: os pré-candidatos a vereadores.

Outro ponto de Sineval Roque é que o ex-deputado se sentiu traído por Zé Ailton que desembarcou de sua base e lançou candidatura a deputado em 2014 dificultando a reeleição do pedetista.

Num encontro com alguns pré-candidatos a vereador Roque se mostrou insatisfeito com a decisão da cabeça da chapa ser do PP. Roque quer um nome do PDT.

Em resumo, se alguém pensava que no Crato a base resolveria as coisas com facilidade acabou se enganando.










Na Veja aparece denuncia que aprecem contratos fictícios na campanha de Eunício Oliveira

O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, foi citado em reportagem da revista Veja, como suposto beneficiário de doações ilegais na campanha de 2014 ao Governo do Estado. De acordo com a reportagem, o economista Nelson José de Mello, ex­-diretor da fabricante de produtos de saúde e bem­estar Hypermarcas, em delação premiada revelou como o dinheiro chegou à campanha do peemedebista ao Governo do Ceará. 

Eunício nega o recebimento dos recursos e diz que não conhece o delator. Segundo a reportagem, ”o mapa da mina é apresentado, de forma detalhada e com notas fiscais, num acordo de colaboração assinado entre o Ministério Público Federal e o economista Nelson José de Mello, ex-­diretor da fabricante de produtos de saúde e bem­estar Hypermarcas. O ex­-executivo narra como foram repassados ao menos 26,35 milhões de reais para alguns políticos ligados a Lyra por meio de contratos fictícios assinados entre a companhia varejista e uma rede de empresas, sendo algumas delas fantasmas, e escritórios de advocacia e de auditoria”. 

A reportagem conta que no ano de 2014, em meio às eleições, o ex­-diretor da Hypermarcas afirmou que Milton Lyra o avisou que seria procurado por um “portador de Eunício Oliveira” para ajudar financeiramente na campanha do peemedebista ao governo do Ceará. De acordo com a reportagem, Nelson Mello diz que se encontrou com um sobrinho de Eunício Oliveira, chamado Ricardo, e que “pagou despesas de empresas que prestavam serviços à campanha de Eunício Oliveira” por meio de “contratos fictícios” no valor total de 5 milhões de reais. 

Duas dessas empresas, segundo a Revista Veja, eram a Confirma Comunicação e Estratégia e a Campos Centro de Estudos e Pesquisa de Opinião, receberam 3,35 milhões de reais. ”O restante foi desembolsado pela Hypermarcas a partir de uma nota fiscal emitida no valor de 1,65 milhões de reais apresentada pela Confederal Prestadora de Serviços de Vigilância e Transporte de Valores, de propriedade de Eunício”, afirma a reportagem. 

Leia abaixo trechos do relato de Nelson Mello:

 “…que foi à casa da Presidência do Senado, quando era presidente Renan Calheiros, em recepções; que nessas ocasiões conheceu diversos Senadores, como Eunício Oliveira, Eduardo Braga e Renan Calheiros; que, portanto, notou que Milton era respeitado e tinha prestígio entre os Senadores; que, quando recebeu o pedido de Milton, viu que fazia sentido pagar porque este tinha vários amigos; que Milton dizia que os Senadores ajudavam as bases, tinham despesas de campanha; que Milton não pediu doação formal à campanha de ninguém, até porque não havia campanha; que Milton não especificou como seriam os pagamentos; que Milton depois indicou a empresa com a qual a Hypermarcas celebrou o contrato fictício no valor de R$ 2.000.000,00; que o depoente informou que teria que ser com emissão de nota fiscal; que nessa primeira fase o contrato foi com a Credpag Consultoria e Serviços Financeiros Ltda., empresa cujo nome estava na porta do escritório de Milton Lyra; que o contrato foi simulado, não houve a prestação de serviços, apesar da juntada de relatórios” “…que entendeu que os montantes pagos eram para o Milton Lyra repassar aos amigos, não sabendo o depoente se este retinha parte dos valores, em troca da intermediação dos contatos mencionados; que os amigos de Milton Lyra eram os Senadores…” “…que em um determinado momento de 2014 Milton Lyra informou que seria procurado por um portador de Eunício Oliveira; que recebeu um sobrinho de Eunício Oliveira, então candidato a governador, o qual pediu ajuda financeira na candidatura; que concordou com o pedido pela posição do Senador; que o sobrinho de Eunício Oliveira era de nome Ricardo; que pagou despesas de empresas que prestava serviços à campanha de Eunício Oliveira; que ajudou mediante contratos fictícios; que a ideia de pagar a uma empresa de Salvador foi sugestão de Ricardo; que o contrato foi no montante de R$ 3.350.000,00; que tratou com a esposa de uma pessoa que cuidava da campanha de marketing do governador, de Salvador, que são sócias de direito de 2 empresas; que essas empresas não tinham capital social suficiente para o pagamento; que ao final se providenciou uma nova nota fiscal para totalizar R$ 5.0000.000,00, esta em nome da empresa Confederal…” 

RESPOSTA DE EUNÍCIO 

O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, disse, ao ser procurado pela reportagem da Veja, que nunca teve “qualquer contato com Milton Lyra ou com Nelson Mello” e que “não tem conhecimento” de pagamentos para a sua campanha em 2014. Em nota divulgada ao mercado nesta terça­-feira, a Hypermarcas confirmou a delação de seu ex-­diretor e disse que o seu ex­-executivo “autorizou, por iniciativa própria, despesas sem as devidas comprovações das prestações de serviços”. (Com informações da Revista Veja) 

Arnon Bezerra pode ser o nome para unificar a base de Camilo em Juazeiro

Texto publicado no blog do Flávio Pinto:


O início do mês de julho promete ser inquieto para o governador Camilo Santana. É que o chefe do executivo terá que definir quem receberá seu apoio para disputar a Prefeitura de Juazeiro do Norte. 

Enquanto que no Crato e Barbalha a escolha dos nomes de aliados vêm ocorrendo de certa forma tranquila, com as indicações de Zé Ailton Brasil (PP) e Fernando Santana (PT), em Juazeiro do Norte a indicação não está sendo fácil para os partidos aliados (PT, PDT, PTB e PSD) travam uma batalha para ver quem vai lançar o nome para as eleições. 

O presidente da sigla pedetista no Ceará, André Figueiredo, por exemplo, defende a pré-­candidatura do empresário Gilmar Bender para a disputa em Juazeiro, enquanto que as demais legendas acreditam ter mais méritos para lançarem seus postulantes. 

Há quem diga que o PDT deve fixar a meta macro, visando o pleito de 2018, por isso deve investir na candidatura do prefeito Roberto Cláudio, em Fortaleza, e não buscar atritos com aliados em outros municípios. Figueiredo defende, por outro lado, que para fortalecer a candidatura do PDT para a Presidência da República é preciso ter um bom quadro de prefeitos e vereadores eleitos neste ano. “O PDT pleiteia Juazeiro do Norte, até porque Barbalha já tem o PT na disputa. No Crato, a indicação foi do governador. Advogamos a tese de termos a candidatura em Juazeiro, apoiando o Gilmar Bender”, disse o dirigente. 

Acontece que PT, PTB e PSD também pleiteiam encabeçar a chapa na cidade. O PSD tem o nome do ex-­deputado estadual Geovane Sampaio como seu presentante para concorrer à prefeitura. No Ceará, o partido é comandado pelo deputado federal Domingos Neto, filho do ex-­governador Domingos Filho. Aliado de primeira hora, do atual prefeito Raimundão é visto com reservas pela base, mas tem a simpatia do governador, a quem o ex­-deputado demonstra fidelidade. O PT, por outro lado, estuda a possibilidade de lançar o ex-­prefeito Dr. Santana e que de acordo com seus correligionários está bem nas pesquisas internas feitas. Acontece que o nome do petista não é consenso entre os aliados, o que torna complicada a possibilidade de os partidos governistas andarem juntos no pleito em Juazeiro. Caberá ao governador do Estado, Camilo Santana, tentar apaziguar os ânimos das siglas nos próximos dias. 

ARNON 

O presidente do PTB, Arnon Bezerra, por outro lado, acredita que seu irmão, Luiz Ivan Bezerra, atual vice­-prefeito de Juazeiro do Norte, é o melhor nome para a disputa. “Todo mundo tem direito de ter seu candidato, mas não pode colocar em jogo um projeto maior. O PDT tem a Prefeitura de Fortaleza, o PT tem o Governo do Estado. O que não pode agora é sacrificar uma aliança por conta de vaidade partidária”, apontou. Segundo ele, tanto PT quanto PDT tem um projeto nacional maior, que passa pela Capital cearense, e que portanto não deveriam procurar intriga com aliados por conta da disputa em Juazeiro do Norte. “É preciso ter responsabilidade do que é melhor para a cidade e não colocar a cidade em risco. Sou muito consciente que trabalho em uma aliança que me leva a assumir essa responsabilidade. Não vou colocar a faca no pescoço de ninguém por vaidade”, disse. 

(Com informações DN)

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Dilma: aliança com o PMDB foi pior erro

“A presidente afastada Dilma Rousseff (PT) afirmou ontem em entrevista à rádio “Metrópole”, da Bahia, que a aliança com o PMDB do presidente interino, Michel Temer, foi o maior erro cometido por ela em sua gestão. “O erro mais óbvio que cometi foi a aliança que fiz para levar a presidência nesse segundo mandato com uma pessoa que explicitamente, diante do país inteiro, tomou atitudes de traição e usurpação”, afirmou.
Segundo Dilma, essa não foi uma questão pessoal e Temer não “representa a si mesmo”. “Não acho que o vice-presidente representa a si mesmo. O grupo que ele representa, e o encontro com Eduardo Cunha [no último domingo] mostra isso, é um grupo político. E eu errei em fazer aliança com esse grupo político”, disse a petista.
Dilma ainda disse que vê possibilidade de um retorno ao exercício do cargo com a votação do processo de impeachment em agosto, no Senado.
Questionada sobre como governaria sem uma base sólida no Congresso, defendeu a necessidade de uma reforma política, mas não falou em propostas de plebiscito ou novas eleições. Disse que sua volta ao exercício da Presidência será a condição para “restabelecer a democracia no Brasil”.
Segundo a presidente afastada, “o sistema político do Brasil está em processo acelerado de deterioração”. E exemplificou com o encontro de Temer e o presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB). Conforme Dilma, Temer não conseguiria governar sem conversar com Cunha. E ironizou o encontro: “Não foi sobre futebol que eles conversaram”.
Na entrevista, Dilma ainda fez uma série de críticas ao governo Temer. Afirmou que o presidente interino “considera a cultura irrelevante”, ao tomar a decisão de extinguir o ministério. E criticou a equipe de ministros sem mulheres e negros.
Dilma também afirmou que o novo governo apresenta uma pauta conservadora e que retira direitos dos trabalhadores. “Estamos vendo nesses parcos 45 dias do governo provisório um crescente avanço para retirar direitos. Reduzem o Pronatec e agora eles estão dizendo que vão exigir 70 anos para que as pessoas tenham direito à aposentadoria”, disse, numa referência à possível proposta de reforma da Previdência de Temer.
A petista ainda citou a perícia realizada pelo Senado para afirmar não teve participação nas chamadas “pedaladas fiscais”. E afirmou que não houve dolo na publicação dos decretos que não haviam sido autorizados pelo Congresso Nacional.
 - Blog do Eliomar de Lima

Vereadores de Fortaleza aprovam moção de repúdio ao golpe

Vereadores de Fortaleza aprovaram nesta terça-feira, 29, moção de apoio ao retorno de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República. O requerimento, apresentado por Ronivaldo Maia (PT), faz ainda pesadas críticas e repúdio ao governo interino de Michel Temer (PMDB), acusado no documento de ter “deflagrado um irrefutávelgolpe de Estado”.

“O impeachment, da maneira como está sendo costurado, é sim um golpe. Não um golpe de Estado clássico, com o exército marchando sobre as ruas (...) mas um golpe contra o Estado democrático”, diz. A medida, colocada em pauta em dia de pouca movimentação na Casa, foi aprovada sem contestações de aliados do presidente em exercício e com pouca discussão.

O texto, endossado pelos vereadores de Fortaleza, afirma ainda que não existe crime comprovado contra a presidente afastada. "É um golpe contra a estabilidade política, ao gerar insegurança e imprevisibilidade para os ocupantes de cargos eletivos”, diz.

Aprovado, o texto de Ronivaldo Maia será enviado agora para a residência oficial da Presidência da República, no Palácio do Alvorada, em Brasília.
Redação O POVO Online

Se desincompatibiliza hoje da FM Progresso o radialista Alexandre Sobreira

Se despede hoje dos microfones da FM Progresso o radialista Alexandre Sobreira (o repórter das comunidades). Desde o início de 2016 Alexandre faz parte da equipe de comunicadores do Jornal Progresso 2ª edição diariamente trazendo as reivindicações, reclamações e sugestões dos moradores dos mais diversos bairros e zona rural de Juazeiro.
Pré- candidato pelo PPL, lançando seu nome pela segunda vez quando em 2012 concorreu a eleição pelo PT do B ficando como suplente e entre os dez mais votados da coligação.
 Alexandre conta com o apoio da sua família, amigos e segmentos religiosos e sociais.

Fernando Santana diz que quer governar com o povo de Barbalha

Em sua participação no Jornal Progresso 2ª edição o pré-candidato do PT à prefeitura de Barbalha disse que sua candidatura é um desafio e que se eleito prefeito de Barbalha seu governo será novo, com novas ações em vários setores da sociedade barbalhense.

Fernando Santana é apoiado por diversas lideranças de Barbalha, e de nomes como Camilo Santana, Arnon Bezerra, José Guimarães, além de Cid e Ciro Gomes.

É o nome de consenso em Barbalha da base aliada do governador Camilo Santana.

Para Fernando Santana o atual prefeito Zé Leite colocou a prefeitura em ordem, está com as contas em dia e fez diversas obras.

Fernando disse ainda que farpa uma campanha ouvindo as pessoas e que quer ser um prefeito para dialogar com o povo e resolver os problemas da cidade com a socedeade.


Fabiano se despede no ar e mantém pré-candidatura a prefeito de Juazeiro do Norte

O radialista Francisco Fabiano fez hoje seu programa de rádio e se despediu dos ouvintes. 

Fabiano é pré-candidato a prefeito de Juazeiro pelo Partido Socialista Brasileiro - PSB.

A partir de agora seu programa será apresentado por Taciano Clécio, radialista e irmão de Fabiano.

Hoje, 29, é a data para quem apresenta programas de rádio e TV se ausentarem do ar por conta da legislação eleitoral.

Aprovado PCCR de servidores do Demutran e Guarda Municipal no Crato

Os servidores do Departamento Municipal de Trânsito e da Guarda Metropolitana de Crato tiveram aprovado o Plano de Cargos e Carreiras e Remuneração das categorias.

A votação ocorreu na sessão desta terça-feira (28). O projeto e objeto de luta dos servidores há mais de dez anos e a aprovação garante direitos de benefícios salariais para os servidores. O projeto deve garantir uma ascensão na careia promoções dos servidores concursados das duas categorias. Havia ainda uma pressa entre os trabalhadores para que o projeto fosse aprovado para não esbarrar na lei de responsabilidade fiscal. 

A lei determina que o gestor não aumente as despesas para o ano seguinte nos últimos seis meses de mandato. Apesar de protestar sobre o envio da matéria na última horas, os vereadores não se opuseram a aprovar a lei. O projeto foi votado em duas sessões extraordinárias realizadas em sequência. 

A matéria chegou a gerar debates entre os parlamentares sobre o período que o projeto passa a ter validade. No projeto original, enviado pela gestão municipal determina que os direitos passem a vigorar a partir de sua publicação. Mas uma emenda alterou a matéria impedindo que fosse anulado por conta da lei eleitoral, que veda projetos que possam conotar abuso de poder político. 

Os agentes da Guarda Metropolitana e Demutran cratense se disseram satisfeitos com a aprovação e que aguardam com ansiedade até 2017 para que o projeto entre em vigor. 

- Site Miséria

Professores de Juazeiro retornam às aulas

Os professores da Rede Municipal de Ensino de Juazeiro do Norte decidiram pela suspensão da greve. A assembleia ocorreu no final da tarde dessa terçafeira (28) no auditório do Colégio Salesiano, onde a maioria dos servidores aprovaram a proposta de acatar a determinação judicial de voltar à sala de aula e sentar com a gestão municipal para a retomada da negociação. 

A proposta de sair da greve foi vencedora, mas não por unanimidade. Parte dos professores queria a continuidade da greve até que o prefeito Raimundo Macedo (PMDB) pagasse o que determina a lei, piso da categoria, retroativo a data base. A proposta do governo de retirar o retroativo da categoria não foi bem vista pelos profissionais, mas mesmo assim eles devem retomar as atividades nesta quartafeira (29). 

Os professores estão em greve a mais de 45 dias cobrando o pagamento do reajuste salarial que deveria ter ocorrido no mês de janeiro. Mesmo com a liminar do desembargador Francisco Barbosa Filho, a greve foi mantida e a gestão solicitou a majoração da multa aplicada ao sindicato que representa a categoria, estendendo a penalidade a cada servidor individualmente. Com a retomada das aulas o sindicato deve atender ao ofício do município e estabelecer um canal de negociação. 


- Site Miséria

Alvo da Polícia Federal, Lei Rouanet reflete má distribuição de renda do País

No centro da Operação Boca Livre, da Polícia Federal, a Lei Rouanet divide opiniões. O debate é acalorado nas redes sociais, e especialistas são categóricos ao dizer que a situação em que a legislação se encontra é resultado da falta de fiscalização do Estado nesses 25 anos de atuação.
 
Criada no governo Fernando Collor, a Lei de Incentivo à Cultura se baseia na política de incentivos fiscais em que pessoas físicas e jurídicas aplicam parte do Imposto de Renda em ações culturais.
 
A ex-secretária de Cultura do Ceará, Cláudia Leitão, reconhece a importância da lei para artistas e, também, para equipamentos culturais, lembrando a reforma do Theatro José de Alencar, realizada de 2013 a 2014. Para ela, a Lei Rouanet reflete a concentração de renda que há na região Sudeste do País. "Diabolizar a legislação por ela propriamente dita é uma visão maniqueísta. (A lei) repete a concentração de acesso, renda e de oportunidade que é a cara do Brasil", afirma. "O que está havendo só revela que as políticas culturais são frágeis e que falta presença do Estado para retificar de forma transparente".
 
A antropóloga, que negou convite do presidente em exercício Michel Temer para assumir a Secretaria de Cultura, em maio deste ano, reitera que é preciso fiscalização. "São recursos nossos. Esse dinheiro tem que ser acompanhado até o final e precisa ter função social. Não é só implantar uma política", continua. "Mas monitorar e avaliar para que não haja distorções e que esses recursos sejam democráticos".
 
Cláudia Leitão recorda o Projeto de Lei nº 6.722, que tramita desde 2010 e aguarda votação no Senado Federal. O texto prevê a criação do Programa Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura (Procultura), que regionaliza os recursos de fomento à ações culturais. Junto à PL, houve tentativa de rever a Lei Rouanet. Ela afirma que o Procultura ainda não foi aprovado "porque envolve interesses estruturais". Segundo ela, a aprovação "não é de interesse do Congresso Nacional". 
 
Eixo Rio-São Paulo
 
No último mês de maio, o ministro da Cultura, Marcelo Calero, sinalizou uma possível discussão a respeito do Procultura. Para o cineasta e diretor do Festival Cine Ceará, Wolney Oliveira, um dos pontos positivos da PL é abrir um debate sobre o excesso de concentração de projetos no eixo Rio-São Paulo. "O que vai pro resto do Brasil são migalhas. Sem a Lei Rouanet, o Cine Ceará e o Festival de Jazz & Blues não existiriam". 
 
Estudos apontam que, apenas nesses dois Estados, a concentração de recursos captados a partir da Lei é de 94%, enquanto no Nordeste é aplicado cerca de 4%. O restante do País fica com aproximadamente 2%. Conforme o Ministério da Cultura (Minc), ao fim deste ano, o setor cultural corresponderá a apenas 0,66% da renúncia fiscal da União.
 
"A lei precisa de mudanças há muito tempo. Deveriam ter sido feito ajustes, como uma fiscalização maior dos projetos aprovados, além de criar instrumentos que realmente façam a desconcentração desses recursos", sugere Wolney.
 
Mecanismos da Lei 

O advogado e professor de Direito da Cultura da Universidade Cândido Mendes (RJ), Mário Pragmácio, lembra que a Lei é composta por três mecanismos: Mecenato, Fundo Nacional de Cultura (FNC) e o Fundo de Investimento Cultural e Artístico (Ficart), sendo que apenas o primeiro é levado em consideração quando se debate a Lei Rouanet.
 
"Precisamos debater o sistema todo. Há pelo menos uma década se debate a atualização da Lei, sobretudo em razão do seu viés neoliberal que privilegia o mecanismo do Mecenato em relação ao FNC, ocasionando as distorções que a opinião pública conhece bem", explica. "Uma das propostas que estava ganhando aceitação era o reforço do papel do Estado na política de fomento".
 
Espaços de resistência 
 
Para ele, a discussão contrária à lei, que ganhou as redes sociais, desconsidera o impacto positivo da economia da cultura. "A cultura tem um papel importantíssimo para o exercício da cidadania, sobretudo quando atrelamos à noção de direitos culturais, que são direitos humanos e fundamentais", aponta. "E são os direitos culturais que devem conduzir os debates sobre qualquer tipo de reforma da Lei Rouanet".
 
Outro ponto levantado pelo advogado é a mobilização social sobre as políticas de cultura. "Movimentos, tal como o #ocupaminc, mostram que a cultura é, além de tudo isso, um espaço de resistência política e criação, onde se pode encontrar novas perspectivas para uma política cultural verdadeiramente democrática e que preze pelo pleno exercício dos direitos culturais". 

- Jornal O Povo 

Quase 70 milhões de crianças morrerão até 2030 se o mundo não agir


Quase 70 milhões de crianças morrerão antes dos cinco anos até 2030 e 167 milhões viverão em pobreza extrema nesse ano se a comunidade internacional não investir já nas mais crianças pobres, alertou nesta terça-feira, 28, o Fundo das Nações Unidas para a Infância - Unicef.
Intitulado “Uma oportunidade justa para todas as crianças”, o relatório anual do Unicef revela que, embora o mundo tenha registado progressos na infância, essas melhorias não foram uniformes e as desigualdades marcam a vida de milhões de crianças.
“Quando olhamos para o mundo de hoje, somos confrontados com uma verdade desconfortável, mas inegável: As vidas de milhões de crianças são arruinadas pelo simples fato de terem nascido num determinado país, comunidade, género ou circunstância”, escreve o diretor-geral da organização, Anthony Lake, no prefácio do relatório.
Para ele, “agora é o momento de agir” porque, se o mundo não acelerar o ritmo de progresso, 69 milhões de crianças morrerão, em sua maioria de causas evitáveis, antes de completarem cinco anos, até 2030, o ano em que terminam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis, definidos no ano passado.
África
Nesse mesmo ano, as crianças da África subsaariana terão 10 vezes mais probabilidade de morrer antes dos cinco anos do que as dos países ricos e nove em cada dez crianças a viver em pobreza extrema estarão naquela área, alertou Anthony Lake.
Se nada for feito, mais de 60 milhões de crianças em idade escolar estarão fora da escola e cerca de 750 milhões de mulheres terão sido casadas na infância.
O diretor-geral da Unicef sublinha que o futuro não tem de ser tão sombrio e lembra que muitos dos constrangimentos que impedem o mundo de ajudar estas crianças não são técnicos.
“São uma questão de compromisso político. São uma questão de recursos. E são uma questão de vontade coletiva”, alertou.
O relatório revela que investir nas crianças mais vulneráveis pode produzir benefícios imediatos e a longo prazo, tanto para as próprias crianças como para a sociedade.
Segundo o documento, cada ano adicional de escolaridade que uma criança frequenta se traduz em um aumento de cerca de 10% dos rendimentos que aufere na idade adulta e, por cada ano adicional de escolaridade que os jovens de um país completam, as taxas de pobreza diminuem cerca de 9%.
“Mais do que nunca, devemos reconhecer que o desenvolvimento só é sustentável se puder ser continuado – sustentado – pelas gerações futuras”, escreveu Anthony Lake.
E exemplifica: “Quando ajudamos um menino a ter acesso aos medicamentos e nutrição de que precisa para crescer saudável e forte, não só aumentamos as suas hipóteses na vida, como reduzimos os custos sociais e económicos associados à doença e à fraca produtividade”.
O prefácio do diretor-geral termina com um apelo: “Nós conseguimos. A injustiça não é inevitável. A desigualdade é uma escolha. Promover a equidade – uma oportunidade justa para cada criança, para todas as crianças – também é uma escolha. Uma escolha que podemos fazer e devemos fazer. Pelo seu futuro, e pelo futuro do nosso mundo”.
Agência Brasil

Vozão empata e segue no G4 da Série B do Brasileirão

Na teoria, em duelo entre um time que está no G-4 contra outro que está na zona do rebaixamento, leva vantagem o que está na parte de cima da tabela. Na prática, não foi isso que o torcedor do Ceará viu ontem. O Vovô fez um jogo abaixo da média e não passou do empate em 1 a 1 com o Bragantino, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista. 

Com o resultado, o time do técnico Sérgio Soares chegou aos 24 pontos, mas caiu uma posição e agora ocupa a terceira colocação, já que o Atlético-GO venceu o Criciúma por 1 a 0. Mesmo assim, o Alvinegro manteve a sequência invicta na competição. Agora são cinco jogos sem perder. O Vovô volta a campo no próximo sábado, 2, para enfrentar o Bahia, às 19h30min, na Arena Castelão, pela 14ª rodada da Série B.

O JOGO
Bragantino e Ceará iniciaram um jogo truncado, calcado na marcação e com muita correria, mas poucos lances de perigo. Na primeira boa chance, aos 11 minutos, os donos da casa marcaram com Gabriel Dias, de cabeça, após falha da defesa alvinegra.

Em desvantagem, o Vovô aumentou a presença no campo de ataque, mas sem articular jogadas de perigo. O time sentia a ausência de Richardson, poupado por desgaste físico. Felipe e Wescley pouco se movimentaram e, consequentemente, Bill e Rafael Costa foram pouco municiados. As tentativas do time de Sérgio Soares eram na bola aérea.

Em uma dessas jogadas, Wescley cruzou para Bill, Renan Diniz tentou cortar e marcou contra. Gol que deu ao Ceará a sensação de que se tivesse maior agressividade, sairia com um resultado positivo. Mas não foi essa postura que o time do técnico Sérgio Soares adotou.

Na segunda etapa, a equipe da casa voltou mais ofensiva e colocou o goleiro Éverson pra trabalhar. Com boas defesas, o camisa 1 novamente foi importante para resguardar a meta alvinegra.

O Vovô voltou a sofrer com a saída de bola e aceitava passivamente a marcação do Braga. Ofensivamente, o time apresentou muitas dificuldades. O Ceará não deu sequer uma finalização no segundo tempo inteiro, e, embora tivesse capacidade de arriscar para sair com os três pontos, pareceu satisfeito com o empate fora de casa.
Por pouco, não foi castigado no fim, quando Alemão recebeu livre na área, limpou a marcação e quase marcou, mas parou novamente no goleiro Éverson, responsável por garantir o empate até o apito final.

Flávio Pinto confirma: idiea de candidatura própria das esquerdas no Crato

Tão logo postei meu texto sobre a possibilidade e sentimento no PT do Crato de que as esquerdas devem ter uma candidatura própria em Crato li o texto do amigo Flávio Pinto, sobre o mesmo tema. Óbvio que Flávio fez um texto bem diferente, mas que reflete um pouco o que escrevi. As esquerdas debatem uma candidatura própria.  

No meu texto apresentei um dos fortes nomes das esquerdas. Já Flávio se atém ao debate que as esquerdas vem promovendo, 

Mas segue o texto de Flávio para o caro internauta conferir:

Os partidos de esquerda no Crato, PT e PCdoB admitem a possibilidade de marchar unidos nas eleições de outubro próximo no Crato. Reunidos nesta terça-­feira (28), os presidente dos diretórios municipal do PT, Pedro Lobo e Cacá Araújo, do PCdoB; discutiram juntamente com representantes dos dois partidos, projetos e ideias e, principalmente, a sucessão municipal. Entre eles há o entendimento da esquerda permanecer unida, caso PT e PCdoB não façam parte da chapa majoritária apoiada pelo Governo do Estado, que vai disputar a sucessão do prefeito Ronaldo Gomes de Mattos, no Crato. O PCdoB está convocando todos os integrantes do Pleno do Comitê Municipal do partido, os pré-­ candidatos(as) a prefeito e vereador(a) a participar de reunião extraordinária, dia 02 de julho de 2016 (sábado), às 9h, no auditório do Sindicato dos Comerciários do Crato, localizado na Rua da Penha, 33, Centro. Na ocasião será abordada a seguinte pauta: 1. Resolução do PCdoB diante da nova conjuntura política local, observando as deliberações da última Conferência Municipal; 2. Composição da chapa que concorrerá às eleições proporcionais. Já o PT deve decidir no domingo (3), o rumo a ser tomado nas eleições municipais. 

A vez do PT e das esquerdas no Crato



Conversando com lideranças do PT do Crato, chega-se a uma simples conclusão: o sentimento do partido de Lula é ter candidatura própria a prefeito nas eleições municipais deste ano.

A questão é simples: o PT tem tradição em ter candidatura a prefeito, tem o governador como modelo e exemplo de sucesso numa eleição adversa e tem um histórico de lutas na cidade.

Ademais, atualmente o partido conduzido pelo jovem político Pedro Lobo, tem conseguido alguns sucessos, como estar um partido mais aberto à sociedade, ter um forte diálogo com os movimentos sociais, incluindo o movimento comunitário, estudantil,  ong’s  e sindicatos.

O PT tem ainda um amplo diálogo com uma série de partidos,  fruto das articulações feitas pelo atual diretório , capitaneado por Pedro Lobo e pelo grupo político do deputado José Guimarães.

Na era da corrente Campo Democrático no PT do Crato, o partido conseguiu o que nunca conseguiu antes, ser visto como um partido mais arejado, democrático, amplo e mais aberto ao diálogo, sem extremismos, demagogia e casuísmo.

Além disso, os petistas tem alguns requisitos interessantes para ter uma candidatura própria: tem um mais tempo de rádio do que qualquer outro partido da base do governador Camilo Santana.

Um outro fator é o próprio formato das eleições deste ano. Será uma eleição fulminante, apenas 45 dias e, para isso, o PT tem um ingrediente que poucos partidos tem: uma grande militância que estará às ruas. É bom lembrar que essa militância já está preparada e sempre pronta para reagir, visto que o PT tem durante este ano uma luta  incansável contra os golpistas que tiraram do governo uma presidenta legitimamente eleita, Dilma Rousseff. Os golpistas tem candidato no Crato e os petistas querem ter a oportunidade de denunciar essa história.

Ainda tem outro ponto. No Crato as lideranças que tem mais influência entre a população são Lula, Dilma Cid e Camilo. Ora, três petistas pedindo voto para um candidato do PT vem a calhar.

Mas, uma questão vem sendo levada em conta por lideranças petistas. Quando foi divulgada a chapa Zé Ailton e André Barreto,  como escolhida para representar a frente popular, a reação da opinião pública não foi positiva.

Soou como se essa chapa não tivesse condições de vencer os tucanos. A rejeição inicial vem causando uma crise entre as lideranças e partidos da frente que Zé Ailton ainda não conseguiu resolver.

Daí porque vem crescendo entre os petistas, e isso será discutido no partido e deliberado, da necessidade de uma candidatura própria.

O presidente do partido, Pedro Lobo, nesse sentido, tem seu nome colocado à disposição. Sob seu comando, o PT hoje tem um bom número de candidatos a  vereador, vem dialogando com diversos partidos, setores sociais e lideranças.

Além disso, Pedro Lobo conta com um fator a seu favor: tem uma forte amizade com o governador Camilo Santana, o que facilita seu acesso ao governador e caso seja prefeito, um acesso direto ao governo e a obras, projetos e ações que podem beneficiar o Crato. 

Essa amizade nenhuma outra liderança ou pré-candidato do PT do Crato tem. Pedro com certeza é o nome do partido com maiores laços de amizade e parceria com Camilo e outras lideranças petistas como José Guimarães, Miosés Braz e o Dr. Santana, parlamentares do PT.  

Outro ponto positivo: Pedro foi o único pré-candidato das esquerdas que teve o apoio explícito de entidades do movimento sindical e comunitário, como os trabalhadores rurais, a Federação das Entidades Comunitárias do Crato, e outros segmentos.

E o mais importante. Caso o PT decida pela candidatura de Pedro Lobo o governador Camilo tem claro dois caminhos. Ou vem ao Crato apoiar Pedro Lobo e a candidatura de seu partido ou não vem.

Em  conversa com uma liderança do partido ele foi bem claro. O PT tem diálogo suficiente com partidos como PC do B, PDT, PSD e outros. E pode sim ter uma candidatura própria e que tenha um programa de governo claro, que tenha um discurso de centro-esquerda, que una diversos segmentos do Crato com o intuito de não deixar o Crato voltar ao passado, levar mais crescimento, desenvolvimento, debater e elaborar políticas públicas para mulheres, trabalhadores, crianças, jovens, idosos, artistas e diversos setores, criar uma agenda social, política e de crescimento para a terra de Bárbara de Alencar.

A possibilidade da união das esquerdas é clara. Atualmente  o próprio PC do B já admite uma candidatura própria das esquerdas.  A militância jovem comunista vem fazendo essa campanha nas redes sociais. 

A ideia seria que no atual momento é importante as esquerdas do Crato terem uma cara própria nas eleições. O nome do PC do B é Cacá Araújo.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Eunício emplaca mais um no governo Temer

Vice-prefeito de Fortaleza na última gestão Juraci Magalhães e ex-secretário na gestão do prefeito Roberto Cláudio (Controladoria, Ouvidoria e Transparência), o advogado Marlon Cambraia é o novo secretário de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração, por indicação do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE).
Também por indicação do senador cearense, Marlon chegou a assumir a Secretaria de Monitoramento e Controle da Pesca e Aquicultura, no Ministério da Pesca e Aquicultura, em janeiro deste ano, no governo Dilma Rousseff. Ele foi um dos últimos a entregar o cargo, após rompimento dos peemedebistas com a presidente afastada.

Raimundão não quer saber de educação e dos professores

O prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macedo (PMDB) é mesmo forte eleitoralmente. Pelo menos ele se acha. Pois, em um ano eleitoral humilhar professores da rede pública não é para qualquer pré-candidato.

Raimundão faz isso muito bem.

Recentemente, chamou professores da rede pública de desocupados e barderneiros. 

Professores em greve Raimundão não aceitou negociar, fez pouco caso das reivindicações dos educadores e mandou o secretário professor Antonio dar ordens para que os professores retornassem às salas de aula.

Na Justiça conseguiu acabar com a greve.

Resumo da ópera: professores voltam ao trabalho e perdem o seu inalienável direito a um reajuste que foi concedido por várias prefeituras, incluindo Crato e Barbalha com menor caixa que Juazeiro do Norte.

O prefeito Raimundo Macedo, grande responsável por Juazeiro ter a pior educação do Ceará é o total responsável pela humilhação dos professores.

Ele não negocia com os educadores e prefere a força do judiciário do que um bom diálogo com quem educa os filhos dos juazeirenses.

Não adianta asfaltar ruas e avenidas com dinheiro emprestado pela Caixa Econômica. 

A educação de Juazeiro está aos frangalhos.

Ao não dar o reajuste aos professores é bom lembrar que cada educador perdeu nesses primeiros seis meses do ano algo em torno  de R$ 2.500,00 cada.

Isso vai fazer e já está fazendo falta no orçamento dos nossos educadores de Juazeiro que terão um dos menores salários do Ceará.




Germano Florentino é pré-candidato a prefeito de Saboeiro

O distrito de Flamengo ficou pequeno para o lançamento da pré-candidatura de Germano Florentino à prefeitura de Saboeiro. 
Mais de 3 mil pessoas, dentre elas, o deputado federal José Guimarães, o deputado estadual Dedé Teixeira e o prefeito de Acopiara, Dr. Francisco Vilmar Félix Martins Florentino prestigiaram na noite desta segunda-feira, 27, no distrito de Flamengo, o lançamento da pré-candidatura de Germano Florentino, para prefeito de Saboeiro (CE). 
"Existe um clima de Saboeiro de negação das velhas oligarquias. Então a hora é de mudança", comentou Guimarães. Além disso, ele debateu a implantação da estrada ligando o distrito de São Paulino a Saboeiro. "São 60km de uma rodovia muito importante para o desenvolvimento da região", afirmou.

PDT e PT juntos em Caririaçu

O ex-prefeito de Caririaçu Edmilson Leite está definitivamente no páreo para concorrer às eleições de outubro próximo no município. Apoiado por aproximadamente cerca de 1,5 mil pessoas, o ex-gestor recebeu nas dependências da Câmara Municipal, os deputados federais José Guimarães (PT), André Figueiredo (PDT) e prefeito de Brejo Santo,Guilherme Landim. Demonstrou ter densidade política e fez a festa dos "Rasga Milho", grupo político liderado por ele em Caririaçu.

Em sua fala, Edmilson fez várias críticas a atual administração e citou o fechamento de escolas, sucateamento da frota de veículos do município e lembrou aos presentes que durante os oito anos de sua gestão (2008 a 2012) construiu e entregou aos moradores 462 unidades habitacionais e ainda deixou nos cofres da prefeitura quase R$ 1,5 milhão para construção de creches.

O deputado federal José Guimarães, que em 2014 obteve mais de quatro mil votos em Caririaçu reafirmou as centenas de pessoas presentes no encontro, que o governador Camilo Santana está apoiando Edmilson, por sua serenidade e compromisso assumido com o povo do município. "Estamos avaliando muitas candidaturas, as quais iremos apoiar. Aqui em Caririaçu, a questão está fechada com Edmilson Leite. Quando prefeito trouxe muitos benefícios e é isso que queremos. Caririaçu vai trazer de volta esse grande gestor", disse Guimarães.
Segundo o deputado, existem três prioridades para o município: abastecimento de água, moradia digna para a população e moralização da gestão pública. "Há um sentimento de mudança que toma conta da população", comentou Guimarães.